História e Ideias: questões de filosofia e política

Profa. Dra. Andréa Casa Nova Maia
Dia/Horário: Segundas-Feiras, 14h-17h
Sala: Afonso

Ementa:
O curso pretende introduzir os alunos ao debate filosófico sobre a natureza do Estado em relação à sociedade em diferentes temporalidades, procurando compreender o pacto/contrato social e alguns conceitos fundamentais da política desde suas origens, em relação ao mundo moderno e contemporâneo, bem como o cenário brasileiro. 

Objetivos: 
O objetivo principal da disciplina é trazer algumas leituras clássicas e contemporâneas sobre a filosofia política, colocando sempre em diálogo os textos com o mundo moderno e com a atualidade e, ainda, propor uma reflexão de alguns conceitos-chave das ideias políticas e sociais com ancoragem na História do pensamento social. 

Unidades de Ensino

  1. O Príncipe-Estado: sobre o Príncipe Soberano 
    1. Fundação absoluta
    2. Contra o Estado
    3. O Estado contratual e o Medo
    4. O novo Príncipe eletrônico 
  2. O Estado-problema: sobre poderes 
    1. A questão do poder 
    2. Rebeliões 
    3. Contra-culturas e contra-poderes 
  3. Obedecer e desobedecer: de volta ao Discurso face à Necropolítica
    1. Condições humanas e totalitarismos 
    2. Necropolítica 
    3. Há saída? 

Estratégias Avaliativas 

O curso contará com 2 avaliações. Seminário em grupo de um dos textos básicos + debate final e entrega de artigo. 

Obs. É proibido gravar as aulas da professora, somente sob autorização escrita. A reprodução de falas e/ou imagens poderá ser alvo de sanções jurídicas.  O uso de aparelhos celulares também está suspenso ao longo das aulas, salvo quando a professora autorizar pesquisa no Google. 

Cronograma de Atividades 

CONTEÚDO
AULA INAUGURAL – PORQUE LER OS CLÁSSICOS? Apresentação do curso.
O ESTADO-PRINCÍPE E O PRINCIPE ELETRÖNICO MAQUIAVEL – MANDRÁGORA (seminário 1) IANNI, OCTAVIO. O PRINCIPE ELETRONICO. IN: ENIGMAS DA MODERNIDADE-MUNDO. RJ: CIV. BRASILEIRA, 2002. 
Os canibais, de Montaigne  
Leviatã, de Hobbes (seminário 2) Ao leitor sem medo, de Renato Janine Ribeiro
Discurso da servidão voluntária, de Etienne de La Boetie (seminário 3) 
O direito a preguiça, de Paul LaFargue (seminário 4) 
Dialética do Esclarecimento. Adorno e Hokheimer (introdução, capitulo 1 e conclusão) Um discurso sobre as ciências, de Boaventura de Souza Santos (introdução) 
Totem e tabu; Mal estar da civilização, de Sigmund Freud (seminário 5 e 6) Eros e civilização, de Marcuse 
ARENDT, Hannah. A condição humana. (capitulo 3 e conclusão)  
FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir. (introdução, capitulo 1 e conclusão) Post scriptum do livro Conversações  de Gilles Deleuze
EXIBIÇÃO DE FILME 
Necropolítica, de Achille Mbembe (seminário 7) 
Provos, coleção baderna 
Seis propostas para o próximo milênio,  de Italo 
Encerramento do curso 

BIBLIOGRAFIA GERAL 

AGAMBEN, Giorgio. Homo sacer: o poder soberano e a vida nua. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.

BIGNOTTO, N. Política e vida privada na Mandragola em Maquiavel. Cadernos de etica e filosofia política, São Paulo, n. 24, p. 7-21, USP, 2014.

BOBBIO, Norberto. Thomas Hobbes. Ed. Campus, Rio de Janeiro, 1991.

CALVINO, Italo. Por que ler os clássicos. São Paulo: Cia das Letras, 2007. 

CALVINO, Italo. Seis Propostas para o Próximo Milênio: Lições Americanas. Trad.: Ivo Cardoso. São Paulo: Companhia das letras, 1990

CHAUI, M. Sobre o medo, in Os Sentidos da Paixão. Ed. Cia. das letras,São Paulo, 1987.

CHÂTELET, François. História das Idéias Políticas. Jorge Zahar Editor, Rio de Janeiro, 2000.

COSTA LIMA, Luiz. Limites da voz (Montaigne, Schlegel, Kafka). 2ª ed. revisada.Rio de Janeiro: Topbooks, 2005.

DE LA BOETIE, Etienne. Discurso da servidão voluntária., trad. Laymert Garcia dos Santos, São Paulo, Brasiliense, 1982.

DELEUZE, Gilles. Post scriptum. In: Conversações. Trad. Peter Pál Pelbart. Rio de Janeiro: Editora 34, 2000.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir: nascimento da prisão. Trad. Lígia M. Ponde Vassalo. Petrópolis: Vozes, 1987.

FREUD,  Sigmund. O mal-estar na civilização. Edição Standard Brasileira das Obras Completas de Sigmund Freud, vol. XXI. Rio de Janeiro:Imago, 1996.

FREUD,  Sigmund. (1913 [1912-13]) Totem e tabu. Edição Standard Brasileira dasObras Completas de Sigmund Freud, vol. XIII. Rio de Janeiro: Imago, 1996.

IANNI, O. O príncipe eletrônico. In Enigmas da Modernidade-mundo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002. 

GUARNNACCIA, Mateo. Provos, Amsterdã e o nascimento da contracultura.  Coleção baderna. Ed. Veneta, 2015. 

HOBBES, Thomas. Leviatã ou matéria, forma e poder de um Estado eclesiástico e civil. Trad. Alex Martins. São Paulo: Martin Claret, 2004.

LAFARGuE, Paul. O direito a preguiça. São Paulo: Ed. Unesp, 1999. 

MACHIAVELLI, N. La Mandragola. (P. Stoppelli, A cura di). Milano. Mondadori, 2006.

MARCUSE, Herbert. Eros e civilização. 5 ed. Rio de Janeiro, Zahar, 1972.

MBEMBE, Achille. Necropolitics. Public Culture, 15, 2003. 

MBEMBE, Achille. Necropolítica, una revisión crítica. In: GREGOR, Helena Chávez Mac (Org.). Estética y violencia: Necropolítica, militarización y vidas lloradas. México: UNAMMUAC, 2012, p. 130-139.

MONTAIGNE, Michel de. Ensaios. Tradução de Sérgio Milliet. São Paulo: Abril Cultural, 1972 (Coleção Os Pensadores).

RIBEIRO,  Renato Janine. Ao leitor sem medo. Hobbes escrevendo contra o seu tempo. Belo Horizonte: Ed UFMG, 1999. 

SANTOS,  Boaventura de Souza. Um discurso sobre as ciências. Porto: Afrontamento, 1988.

STAROBINSKI, Jean. Montaigne em movimento, trad. M. L. Machado, São Paulo, Companhia das Letras, 1992.