Abolicionismos numa perspectiva atlântica (século XIX)

Professores: Fernando Vale Castro e Mônica Lima e Souza

 

Horário:  5ª feira  14h 17h

 

EMENTA:

 

A disciplina tem como objetivo realizar uma discussão histórica e historiográfica acerca dos abolicionismos no Mundo Atlântico. Neste sentido serão analisados diferentes aspectos dos processos de abolição da escravidão, e do imediato pós-abolição, nos continentes africano e americano. Além de bibliografia específica, serão trabalhados textos de época.

 

 

 

 

 

BIBLIOGRAFIA

 

ALEXANDRE, Valentim O Império Africano – Séculos XIX e XX. Lisboa:

 

Edições Colibri, 2000.

 

Alexandre, Valentim. “A África no Imaginário Político Português: séculos XIX e XX”. Lisboa, Penélope, 15,1995, 39-52.

 

AZEVEDO, Celia Maria Marinho. “Irmão ou inimigo: o escravo no imaginário abolicionista nos Estados Unidos e no Brasil”. Revista da

 

USP, São Paulo, nº 2 8, dez/fev 1995/96, p.9 6 – 1 0 9.

 

__________________________________.Onda Negra, Medo Branco:o negro no imaginário das elites século XIX. 3ª ed. São Paulo: Annablume,2004.

 

___________________________________Abolicionismo: EUA e Brasil, uma história comparada (século XIX). São Paulo: Annablume,2003.

 

Blackburn, Robin. A queda do escravismo colonial. São Paulo, Record, 2002.

 

Caderno de História nº30. Memorial de História do Rio Grande do Sul

 

“Iluminismo, Metodismo e Abolicionismo”

 

CARDOSO,Ciro F. S.(org.).Escravidão e Abolição no Brasil:novas perspectivas.Rio de Janeiro: Jorge Zahar,1988.

 

CHALHOUB, Sidney. Visões da Liberdade: Uma história das últimas décadas da escravidão na corte. São Paulo:Companhia das letras,1990.

 

 

 

 

CHALHOUB, Sidney. Machado de Assis, historiador. São Paulo:Companhia das letras,2003.

 

COOPER., Frederick Et alli. Além da Escravidão. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2005

 

COSTA, Emília Viotti da.  Abolição. 7ª ed:Global, 2001.

 

CONRAD, Robert. Os Últimos Anos da Escravatura no Brasil. Rio de Janeiro:Civilização Brasileira,1975.

 

DRESCHER, Seymour. Abolição. São Paulo, Ed UNESP, 2011.

 

FLORENTINO,  Manolo  (Org.).  Tráfico,  cativeiro  e  liberdade:  Rio  de

 

Janeiro, séculos XVII-XIX. Rio de Janeiro:Civilização Brasileira,2005.

 

FONER, Eric. Nada além da liberdade. Rio de Jnaeiro , Paz e Terra, 1988.

 

FRANKLIN, J. Hope & MOSS Jr, Alfred. Da escravidão à liberdade. Rio de Janeiro, Nórdica, 1989.

 

GRINBERG, Keila. O fiador dos brasileiros: cidadania, escravidão e direito civil no tempo de Antonio Pereira Rebouças. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.

 

GRINBERG, Keila e PEABODY, Sue. Escravidão e liberdade nas Américas. Rio de Janeiro: FGV, 2014.

 

IANNI, Octávio. As metamorfoses do escravo: Apogeu e crise da escravatura no Brasil Meridional. Difusão européia.São Paulo.

 

LAGE, Lana. Rebeldia negra e abolicionismo. Rio de Janeiro, Achiamé, 1981.

 

MACHADO, Maria Helena. P. T.. O plano e o pânico: movimentos sociais na década da abolição. Rio de Janeiro/ São Paulo: UFRJ/ Edusp, 1994.

 

MARZANO, Andrea. Ascensão social, participação política e abolicionismo popular na segunda metade do século XIX. In:Cultura política e leituras do passado:historiografia e ensino da história.

 

 

 

 

ABREU, Martha. SOIHET, Rachel. GONTIJO, Rebeca(orgs.). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira,2007.

 

MORAES, E. Campanha Abolicionista (1879-1888). Brasília:UNB,1986.

 

NABUCO, Joaquim. O Abolicionismo. 4ª ed.Petrópolis,Vozes,1997.

 

PESSANHA, Andréa Santos da Silva. Da abolição da escravatura à abolição da miseria: a vida e as ideias de André Rebouças. Rio de Janeiro:Quartet,2005.

 

PINTO. L. A. Costa. O negro no Rio de Janeiro: Relações de raça numa sociedade. 2 ed.Rio de Janeiro:Editora Ufrj,1998.

 

ROCHA,  Antonio  Penalves.  “A  escravidão  na  economia  política”.  R.

 

Historia, São Paulo, 1989.

 

___________________________. “Ideias antiescravistas e ilustração na sociedade escravista brasileira”. ANPUH, XXIII Simpósio Nacional de História, 2005.

 

SAMPAIO, Maria Clara Carneiro. “Emancipação, expulsão e exclusão: visões do negro no Brasil e nos Estados Unidos nos anos 1860. ”

 

Sankofa nº3, junho/2009.

 

https://sites.google.com/site/revistasankofa/sankofa3/emancipacao

 

SILVA, Eduardo. As Camélias do Leblon e a Abolição da Escravatura: Uma investigação de história cultural. São Paulo:Companhia das Letras,2003

 

VILHENA, Maria José Afonso. Do Abolicionismo aos objetivos de desenvolvimento do milênio. O que mudou no olhar ocidental sobre a África e os africanos: o caso de Moçambique. Dissertação de Mestrado.

 

ISEG, setembro de 2013.

 

 

 

TEXTOS DE ÉPOCA

 

NABUCO, Joaquim. O Abolicionismo. 4ª ed.Petrópolis,Vozes,1997.

 

ANONIMO. Quarenta e cinco dias em Angola. Apontamentos de viagem.

 

Porto, 1862.  https://archive.org/details/quarentaecincodi00port

 

 

 

 

Biografia de Mahommah Baquaqua http://redhis.wordpress.com/2011/02/12/biografia-de-mahommah-baquaqua/

 

BOTELHO, Sebastião Xavier. Escravatura: benefícios que podem provir

 

às nossas possessões d’África da proibição daquele tráfico. Lisboa: Typographia de José B. Morando, 1840. http://books.google.com/ebooks/reader?id=rlMtAAAAYAAJ&printsec=fr ontcover&output=reader

 

COMPARATO, Fabio Konder. “Ata geral da Conferencia de Bruxelas de 1890. Sobre a repressão ao tráfico de africanos.” Na internet em http://www.dhnet.org.br/educar/redeedh/anthist/brux1890.htm

 

HEYRICK, Elizabeth. Immediate, not Gradual Abolition, Philadelphia,

 

Philadelphia A.S. Society, 1837. https://archive.org/details/immediatenotgrad00heyr

 

Manifesto da Sociedade Brasileira contra a Escravidão, Rio de Janeiro,

 

Typ. de G. Leuzinger & Filhos, s. d. http://www2.senado.leg.br/bdsf/item/id/174443