Leituras sobre historia econômica: métodos de pesquisa (sociedades de Antigo Regime) e visões recentes do Brasil (século XXI)

Prof. João Fragoso

O curso tem por objetivo introduzir métodos e técnicas em Historia Econômica e Social para a análise de sociedades do Antigo Regime. Da mesma forma, ele pretende contribuir para recuperar uma antiga tradição dos profissionais de Historia econômica, qual seja o de se valer das suas ferramentas heurísticas para entender a lógica da sociedade contemporânea enquanto processo, no caso o Brasil. Desse modo, o curso se desdobra em dois módulos:

A- Métodos e técnicas para o estudo da economia de Antigo Regime.

Nos anos de 1990 ideia de uma abordagem multiscopia dos sistemas sociais passou a ser o sonho de consumo de todo historiador profissional.[1] Essa abordagem, por meio de um jogo de lentes ópticas de diferentes graus, procurava apreender a dinâmica dos sistemas estudados.  Em outras palavras, através de distintas ferramentas heurísticas, a semelhança do manejo de diferentes de lentes, pretendia-se partir dos fenômenos macros (longa duração braudeliana) até alcançar as relações sociais ao rés do chão. Feito isso, na dinâmica das relações sociais, analisaríamos as interações dos agentes e, mais, conseguiríamos deslindar as estratégias e orientações valorativas que moviam ação de tais sujeitos. Realizado tal movimento, o investigador voltava ao macro, redefinindo-o com aquelas informações com adquiridas no micro. Depois de mais de ¼ de século, penso eu, que tal abordagem ainda é um projeto metodológico em construção.



[1] Ver os textos que compõe o livro REVEL, J. (org). Jogos de Escala, 1998 (edição francesa de 1996), especialmente os de J. Revel Microanalise e construção social, B. Lepetit sobre a escala na historia e P. Rosental Construir o macro pelo micro: Fredrik Barth e a microstoria. REVEL, J. A história ao rés do chão, in: LEVI, G. A Herança Imaterial, Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000.

Programa completo, com bibliografia