Mulheres no campo religioso: entre a santidade e a heterodoxia (Ibero-América e Europa católica, séculos XVI-XVIII)

Ementa:

A disciplina busca discutir as práticas e as representações religiosas concernentes a diferentes categorias de mulheres atuantes no campo religioso, no contexto enfocado.

 

Avaliações:

Participação nas discussões coletivas, resenhas e seminários. Elaboração de um trabalho final que promova a articulação entre os temas desenvolvidos em sala e a pesquisa de cada aluno.

 

Conteúdo programático:

Unidade I: Aspectos conceituais e de contexto (Aulas 1, 2, 3, 4 e 5)

1. Religião e campo religioso

2. Leituras das relações de gênero

3. Representações sobre a mulher e o corpo feminino no período considerado

4. Mudanças nos modelos de santidade feminina

 

Unidade II: As freiras e o enclausuramento feminino: do ideal à resistência (Aulas 6 e 7)

1. Estudos de casos relativos a Portugal e a Veneza

2. Estudos de casos pertencentes à Nova Espanha, ao Peru e à América Portuguesa

 

Unidade III: As beatas, uma modalidade intermediária de vida religiosa (Aulas 8 e 9)

1. A experiência européia

2. Estudos de casos relativos à Nova Espanha, ao Peru e à América Portuguesa

 

Unidade IV: Os recolhimentos femininos: as múltiplas faces de uma instituição (Aulas 10 e 11)

1. Estudos de casos relativos a Portugal

2. Estudos de casos tocantes à Nova Espanha, ao Peru e à América Portuguesa

 

Unidade V: Mulheres acusadas de desvios na fé: práticas de heterodoxia (Aulas 12, 13 e 14)

1. Cripto-judaísmo

2. Feitiçaria

3. Profetismo

4. Falsa santidade

 

Unidade VI: Conflitos conjugais e divórcio: mulheres diante dos tribunais eclesiásticos diocesanos (Aula 15)

1. Análise de casos na América Portuguesa

 

Bibliografia:

AHLGREN, Gillian T. W. Francisca de los Apóstoles: A Visionary Voice for Reform in Sixteenth Century Toledo In: GILES, Mary E. (Ed.). Women in the Inquisition: Spain and the New World. Baltimore and London: The Johns Hopkins University press, 1999, p. 119-133.

ALMEIDA, Suely Creusa Cordeiro de. O sexo devoto: normalização e resistência feminina no Império Português (séculos XVI – XVIII). Recife: Ed. UFPE, 2005.

ARAYA ESPINOZA, Alejandra. De espirituales a histéricas: las beatas del siglo XVIII en la Nueva Espãna. Historia. Santiago, v. 37, n. 1, 2004, p. 5-32.

ASSIS, Angelo Adriano Faria de. Macabeias da Colônia: Criptojudaísmo feminino na Bahia. São Paulo: Alameda Editorial, 2012.

BETHENCOURT, Francisco. O imaginário da magia: feiticeiras, adivinhos e curandeiros em Portugal no século XVI. São Paulo: Cia. das Letras, 2004.

BURKE, Peter. “How to Become a Counter-Reformation Saint” In LUEBKE, David M. (ed.). The Counter-Reformation: The Essential Readings. Malden (MA): Blackwell Publishing, 2005, p. 129-142.

BURNS, Katryn. Colonial Habits: Convents and the Spiritual Economy of Cuzco, Peru. Durham: Duke University Press, 1999.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão de identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

DEUSEN, Nancy E. van. Between the Sacred and the Wordly: The Institutional and Cultural Practice of Recogimento in Colonial Lima. Stanford: Stanford University Press, 2001.

GANDELMAN, Luciana Mendes. Mulheres para um império: órfãs e caridade nos recolhimentos femininos da Santa Casa da Misericórdia (Salvador, Rio de Janeiro e Porto – século XVIII). Tese de Doutorado apresentada à UNICAMP sob a orientação de Leila Mezan Algranti. Campinas: mimeo., 2005, p. 181-235.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

GOLDSCHMIDT, Eliana Maria Rea. Convivendo com o pecado: na sociedade colonial paulista (1719 – 1822). São Paulo: Annablume, 1998.

GORENSTEIN, Lina. A Inquisição contra as mulheres: Rio de Janeiro, séculos XVII e XVIII. São Paulo: Humanitas: Fapesp, 2005.

HALICZER, Stephen. Between Exaltation and Infamy: Female Mystics in the Golden Age of Spain. Oxford: Oxford University Press, 2002.

JAFFARY, Nora E. False Mystics: Deviant orthodoxy in Colonial Mexico. Lincoln and London: University of Nebraska Press, 2004.

JESUS, Elisabete de. As manteladas: um espaço feminino de religiosidade dos terceiros franciscanos do Porto In: Em torno dos espaços religiosos-monásticos e eclesiásticos. Actas do Colóquio de homenagem a frei Geraldo Coelho Dias. Porto: Instituto de História Moderna – Universidade do Porto, 2005, p. 135-154.

JORDÁN ARROYO, María V. Sonhar a história: risco, criatividade e religião nas profecias de Lucrecia de León. Bauru (SP): Edusc, 2011.

LAQUEUR, Thomas. Inventando o sexo: corpo e gênero dos gregos a Freud. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2001.

LAVEN, Mary. Virgens de Veneza: vidas enclausuradas e quebra de votos no convento renascentista. Rio de Janeiro: Imago, 2003.

LAVRIN, Asunción. Brides of Christ: Conventual Life in Colonial Mexico. Stanford: Stanford University Press, 2008.

MARTINS, William de Souza. Modelos e práticas de santidade feminina no Novo Orbe serafico brasilico do frade Antônio de Santa Maria Jaboatão. Topoi. Rio de Janeiro, v. 12, n. 22, jan.-jun. 2011, p. 44-62.

_____. “Parece que não há sobre a terra um requerimento mais justo”: práticas de reclusão feminina no recolhimento de Itaipu (1764 – 1822) In: MAIA, Andrea Casa Nova e MORAES, Marieta de (Orgs.). Outras histórias: ensaios em História Social. Rio de Janeiro: Ponteio, 2012, p. 51-71.

MUJICA PINILLA, Ramón. Rosa limensis. Mística, política e iconografía en torno a la patrona de América. México: IFEA: CEMCA: FCE, 2005.

PAIVA, José Pedro. Práticas e crenças mágicas. O medo e a necessidade dos mágicos na diocese de Coimbra (1650 – 1740). Coimbra: Minerva, 1992.

RIBEIRO, Antonio. O “parto místico”: uma abordagem indiciária. Lusitania Sacra. Lisboa, n. 18, 2, p. 451-472, 2006.

ROWE, Erin Kathleen. Saint and Nation: Santiago, Teresa of Avila and Plural Identities in Early Modern Spain. Pennsylvania: Pennsylvania State University Press, 2011.

RUBIAL GARCIA, Antonio. Profetisas y solitários. Espacios y mensajes de uma religión dirigida por ermitaños y beatas laicos em las ciudades de Nueva España. México: UNAM: Fundo de Cultura Económica, 2006.

SCOTT, Joan Wallach. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Educação e sociedade. Porto Alegre, n. 16, 2, p. 5-22, 1990.

SILVA, Maria Beatriz Nizza da Silva. Donas e plebeias na sociedade colonial. Lisboa: Estampa, 2002.

SILVA, Marilda Santana da. Dignidade e transgressão: mulheres no Tribunal Eclesiástico em Minas Gerais (1748 – 1830). Campinas: Ed. Unicamp, 2001.

SILVA, Ricardo Manuel Alves da. Casar com Deus: vivências religiosas e espirituais femininas na Braga moderna. Tese de Doutoramento em História apresentada à Universidade do Minho. Braga, 2011.

SOUZA, Evergton Sales. O lume da Rosa e de seus espinhos: espiritualidade e piedade em D. Sebastião Monteiro da Vide In: FEITLER, Bruno & SOUZA, Evergton Sales (Orgs.). A Igreja no Brasil: normas e práticas durante a vigência das Constituições Primeiras do Arcebispado da Bahia. São Paulo: Unifesp, 2011, p. 61-84.

TAVARES, Pedro Vilas Boas. Beatas, inquisidores e teólogos. Reação portuguesa a Miguel de Molinos. Dissertação de Doutoramento em Cultura Portuguesa apresentada à Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Porto, 2002, 2 v.

SANTOS, Georgina Silva dos. Entre Jesus y Moisés: el marranismo en los conventos inbéricos durante el siglo XVII In: VIFORCOS MARINAS, Maria Isabel y LORETO LÓPEZ, Rosalva (coords.). Historias compartidas: Religiosidad y reclusión femenina em España, Portugal y América. Siglos XV-XIX. León: Universidad de León; Puebla: Benemérita Universidad Autónoma de Puebla, 2007, p. 195-210.

WEBER, Alison. “Teresa de Ávila. La mística feminina” In: ORTEGA, M., LAVRIN, A. e PÉREZ CANTO, P. (Coords.). El mundo moderno (Historia de las mujeres em España y América Latina sob a dir. de Isabel Morant, v. 2). Madrid: Cátedra, 2005, p. 107-129.

WIESNER, Merry E. Women and Gender in Early Modern Europe. Cambridge: Cambridge University Press, 2000.

 

Planejamento das atividades:

Aula 1: Discussão da bibliografia trabalhada na disciplina e da sistemática das aulas;

Aula 2: Discussão dos textos de BETHENCOURT, F. op. cit., p. 203-257 e de GEERTZ, C., op. cit., p. 101-142;

Aula 3: Discussão dos textos de BUTLER, J., op. cit., p. 17-60 e de SCOTT, J., op. cit.;

Aula 4: Discussão dos textos de LAQUEUR, T., op. cit., p. 151-188 e de WIESNER, M., op. cit., p. 13-47;

Aula 5: Discussão dos textos de BURKE, P., op. cit., e de ROWE, E., op. cit., p. 48-76;

Aula 6: Discussão dos textos de LAVEN, M., op. cit., p. 49-83 e de SILVA, R., op, cit., p. 483-450;

Aula 7: Discussão dos textos de LAVRIN, A., op, cit., p. 81-115 e de SOUZA, E., op. cit.;

Aula 8: Discussão dos textos de TAVARES, P., op. cit., t. 1, p. 147-217, de RUBIAL GARCIA, op. cit., p. 15-38 e de RIBEIRO, A., op. cit.;

Aula 9: Discussão dos textos de MUJICA PINILLA, R., op. cit., p. 79-132 e de MARTINS, W., Modelos e práticas, op. cit.;

Aula 10: Discussão dos textos de JESUS, E., op. cit., e de DEUSEN, N., op. cit., p. 1-37;

Aula 11: Discussão dos textos de ALMEIDA, S., O Sexo devoto, op. cit., p. 261-334, de MARTINS, W., “Parece que não há”, op. cit. e de GALDELMAN, L., op. cit., p. 185-218;

Aula 12: Discussão dos textos de GORENSTEIN, L., op. cit., p. 313-384, de SANTOS, G., op. cit. e de ASSIS, A., op. cit., cap. 5;

Aula 13: Discussão dos textos de JORDÁN ARROYO, M., op. cit., p. 19-48 e 157-196 e de PAIVA, J., op. cit., p. 183-226;

Aula 14: Discussão dos textos de HALICZER, S., op. cit., p. 125-145 e de JAFFARY, N. op. cit., p. 79-107;

Aula 15: Discussão dos textos de SILVA, M., op. cit., p. 129-191 e de GOLDSCHMIDT, E., op. cit., p. 67-89.