Revista Ars Historica – 16ª edição

Revista Ars Historica – 16ª edição

A Revista Ars Histórica, em sua 16ª. edição, apresenta um dossiê que busca acompanhar os avanços dos estudos sobre a história da África realizados no Brasil, contribuindo para a divulgação do conhecimento sobre um continente extremamente importante para a formação de nosso país.

Durante muito tempo, o senso comum atribuía à África um estereótipo marcado por conflitos, epidemias, sujeição aos colonizadores europeus, pobreza extrema e falta de progresso. Contudo, o estudo do continente africano pelas mais diversas áreas do conhecimento, entre elas a historiografia, vem desconstruindo esta imagem negativa sobre um continente que se mostra, na verdade, marcado por uma imensa pluralidade. A imagem da capa desta 16ª. edição é inspirada na tradicional estampa Adinkra produzida pelos Akan, hoje espalhados por territórios de Gana e da Costa do Marfim. Elas eram elaboradas tradicionalmente através de carimbos de cabaça que imprimiam símbolos em tecidos usados pelas elites Akan. Os significados destes símbolos revelam provérbios, ideias e conceitos que muitas vezes servem como guia político e ético da comunidade.

Para a apresentação deste dossiê temático sobre a história da África, contamos com a participação da historiadora Mônica Lima e Souza, professora do Instituto de História da Universidade Federal do Rio de Janeiro. A historiadora, que se formou na UFRJ, fez o mestrado no Colégio do México e o doutorado na Universidade Federal Fluminense, é de uma geração pioneira dos estudos sobre a história da África no Brasil e desempenhou grande importância no recente avanço deste campo no país. Por isso, ressaltamos a honra de contar com sua colaboração nesta edição.

Este dossiê sobre história da África recebeu a colaboração de pesquisadores de diversas instituições de pesquisa e de várias regiões do Brasil. A análise deste conjunto de artigos revela a grande diversidade dos estudos africanistas no que se refere à temática, à temporalidade, à espacialidade e às perspectivas teóricas do campo de estudos africanista. Sendo assim, acreditamos que esta edição apresente um microcosmo da pujante produção da historiografia sobre África no Brasil.

Pra finalizar o dossiê sobre o continente africano, a Revista Ars Historica entrevistou o professor Marcelo Bittencourt, da Universidade Federal Fluminense. Nesta conversa, o historiador traçou, a partir da análise da sua própria carreira acadêmica, um panorama sobre o desenvolvimento do campo de estudos africanistas no Brasil e refletiu sobre a atual produção historiográfica sobre África.

Tal como nas edições anteriores, a Revista Ars Historica também publica nesta 16ª. edição uma seção de Artigos Livres, que não têm uma temática necessariamente ligada ao dossiê. Da mesma maneira, abrimos espaços para pesquisadores que ainda não ingressaram na pós-graduação publicarem Notas de Pesquisa sobre estudos ainda em andamento. Por fim, apresentamos ainda a seção Resenhas, onde pesquisadores contribuem com uma visão crítica sobre obras publicadas recentemente.

 

Site da Revista: http://www.ars.historia.ufrj.br/
Página do Facebook: www.facebook.com/RevistaArsHistorica