Sistemas Político-Econômicos Africanos Pós-coloniais

Prof. Dr. Nuno Fragoso
Dia/Horário: Quintas-feiras/ 18h-21h
Sala: Afonso

EMENTA:
Esta disciplina pretende desenvolver competências de análise e pesquisa da natureza do fenómeno político-econômico pós-colonial na África sub-Sahariana e sua inserção no contexto internacional. Serão analisados os processos de construção e desenvolvimento das instituições do Estado pós-colonial na África sub-Sahariana e a sua relação e inter-acção com os padrões sociais, políticos e económicos dominantes a nível interno e com a comunidade internacional em sentido geral, concretizando no que se refere às relações África-Brasil. O objecto de estudo tem um âmbito alargado, recorrendo-se a vários casos das diferentes sub-regiões político-econômicas- culturais e geográficas do continente.

PROGRAMA
Sumário de tópicos do programa:
1 – Nacionalismo e Descolonização;
2 – Construção do Estado Pós-Colonial;
3 – Transformações políticas e econômicas da década de 1990;
4 – Globalização e relações África-Brasil

Programa desenvolvido:
1 – Nacionalismo e Descolonização
1.1 – Realidades coloniais e nacionalistas diversas.
1.2 – Evolução do contexto internacional no início do século XX com impacto profundo em África
1.3 – Formas e métodos de resistência, ideologias, organização e ação política.
1.4 – Independências: diversidades no espaço, no tempo, no conteúdo e na forma.

2 – Construção do Estado Pós-Colonial
2.1 – Processos de construção dos novos Estados: contextos sôcio-econômicos,
questões identitárias, evoluções políticas.
2.2 – Modelos externos e padrões internos de organização: Pós-Colonial e Decolonial.
2.3 – Articulação com o contexto político e econômico internacional durante o período
da “guerra-fria”.
2.4 – Estratégias de desenvolvimento.

3 – Transformações políticas e econômicas da década de 1990
3.1 – Alterações no contexto internacional e regional: “transições”.
3.2 – Condicionalismo político e económico: eleições multipartidárias e liberalização económica.
3.3 – Oposição político-partidária; renovada sociedade civil e agentes económicos privados e
estatais.
3.4 – Fenómenos de “Warlordism” e “criminalização”.

4 – Globalização e relações África-Brasil
4.1 – Globalização em África e internacionalização.
4.2 – Novas formas de ativismo sôcio-político de transformação.
4.2 – Necropolítica e Afropolitanismo.
4.3 – Relações político-econômicas África-Brasil.

BIBLIOGRAFIA

Unidade 1 – Nacionalismo e Descolonização
M’BOKOLO, Elikia. 2012 [1995]. África Negra. Lisboa: Ed. Colibri, [Idade de ouro
ou crepúsculo da colonização, 1910-1940 / Consenso político e mecânica
administrativa, p.371-405]. PDF
M’BOKOLO, Elikia. 2012 [1995]. África Negra. Lisboa: Ed. Colibri, [A exploração
econômica, p.405-451]. PDF
M’BOKOLO, Elikia. 2012 [1995]. África Negra. Lisboa: Ed. Colibri, [Os caminhos
da emancipação, 1880-1940: resistências ininterruptas / A Aceleração: 1939-
1945, p.455-499]. PDF
M’BOKOLO, Elikia. 2012 [1995]. África Negra. Lisboa: Ed. Colibri, [A
Emancipação, p.499-542]. PDF
M’BOKOLO, Elikia. 2012 [1995]. África Negra. Lisboa: Ed. Colibri,
[Dependências, desenvolvimento e mundialização, p.547-586]. PDF
M’BOKOLO, Elikia. 2012 [1995]. África Negra. Lisboa: Ed. Colibri, Um
renascimento Africano?A África Independente, p. 586-617]. PDF
FAGE, JD & TORDOFF, W. 2002. História da África. Lisboa: Ed. 70 [A independência em resumo, p.477-508]PDF
APPIAH, K. 1992 [1997]. Na Casa de Meu Pai. Rio de Janeiro: Contraponto.
[Capítulo 1, 19-51] PDF
MUDIMBE, V. Y. 2013 [1988]. A invenção da África. Luanda: Ed. Pedago.
[Introdução e Capitulo 1, 9-41] PDF
BENOT, Y. 1981(1969). Ideologias das Independências Africanas, Vol I. Luanda: INALD. [Ideologia e Intelligentsia, 1-35] PDF
BENOT, Y. 1981(1969). Ideologias das Independências Africanas, Vol I. Luanda: INALD. [Independência, 89-143] PDF
BENOT, Y. 1981(1969). Ideologias das Independências Africanas, Vol I. Luanda: INALD. [A Unidade Africana / As políticas de unidade, 195-237] PDF
BENOT, Y. 1981(1969). Ideologias das Independências Africanas, Vol I. Luanda: INALD. [As bases e dificuldades concretas da Unidade, 237-281] PDF
BENOT, Y. 1981(1969). Ideologias das Independências Africanas, Vol I. Luanda: INALD. [Socialismo, 283-317] PDF
BENOT, Y. 1981(1969). Ideologias das Independências Africanas, Vol II. Luanda: INALD. [Renascimento cultural, 152-181] PDF
CROWDER, M. 2010. “A Primeira Guerra Mundial e suas consequências”, in HGA, Vol. VII, 342-251. PDF
BETTS, R. 2010. “A dominação Europeia: métodos e instituições”, in HGA, Vol. VII, 353-375. PDF
MAZRUI, A. 2010. “’Procurai primeiramente o reino político…’”, in HGA, Vol.VIII, 125-149.PDF
BITTENCOURT, M. 2018. “Leituras do Colonialismo”, in Nadilson, Jorge (org.) História da África e relações com o Brasil. Brasília: FUNAG, p.107-134 PDF
MABEKO-TALI, J-M. 2013. “Considerações sobre o despotismo colonial, e a gestão centralizada da violência no Império colonial francês”, in VARIA HISTORIA, Belo Horizonte, vol. 29, no 51, p.745-770. PDF

Unidade 2 – Construção do Estado Pós-Colonial
APPIAH, K. 1992 [1997]. Na Casa de Meu Pai. Rio de Janeiro: Contraponto.
[Capítulo 8 & 9, p.221-251] PDF
SILVA, Fabricio Pereira. ND. “Ainda a negritude? Retomando um conceito vilipendiado”. NP. 1-37.
DOMINGUES, Petrônio. 2005. “Movimento da Negritude: uma breve reconstrução histórica”, in Mediações – Revista de Ciências Sociais, Londrina, v. 10, n.1, p. 25-40. PDF
ALVARADO, Guilhermo. 2018. África deve-se unir?. Tese de Doutorado, UFBA. (Parte IV – “Pan-africanismo nas independências: Teorias e Horizontes” p.271-343). PDF
BITTENCOURT, M. 2018. “As independências Africanas: violência e diversidade”, in Nadilson, Jorge (org.) História da África e relações com o Brasil. Brasília: FUNAG, p.135-158. PDF
BAYART, J-F. Estado en Africa. La Politica del Vientre. Barcelona: Edicions Bellaterra. p.347-390. PDF
BAYART, J-F. Estado en Africa. La Politica del Vientre. Barcelona: Edicions Bellaterra. p.109-150. PDF
WIREDU, Kwasi. 1984. “Como não se deve comparar o pensamento africano com o ocidental”. Tradução para uso didático feita por Marcos Carvalho Lopes, a partir de: WIREDU, Kwasi. 1984.
“How not to compare African traditional thought with Western thought”, in Richard A Wright (ed). African Philosophy: An Introduction. 2ed. Washington: University Press of America.PDF
WIREDU, Kwasi. 2000. Democracia e consenso na política tradicional africana. Tradução para uso didático de: WIREDU, Kwasi. 1995. “Democracy and Consensus in African Traditional Politics. A Plea for a Non-party Polity”, in The Centennial Review 39.1 <disponível em http://them.polylog.org/2/fwk-en.htm>, por Márcio Moreira Viotti. Revisão de wanderson flor do
nascimento. PDF
MABEKO-TALI, Jean-Michel. 2006. “Exclusão e estratégias de sobrevivência no Estado-nação: o caso das transições políticas congolesa e angolana” in Vidal, Nuno Fragoso & Pinto de Andrade, Justino, O processo de transição para o multipartidarismo em Angola. Lisboa e Luanda: Firmamento, pp. 175-205.PDF
Chabal, Patrick. 2008. “Twilight Zone: Sociedade Civil e Politica em Angola”, in Vidal, Nuno & Pinto de Andrade, Justino Sociedade Civil e Política em Angola (Luanda & Lisboa: Universidade de Coimbra & Univ Católica de Angola), p.XXI-XXXIII. PDF
AMSELLE, Jean-Loup & Elikia M’Bokolo (coord.). 1985. Pelos Meandros da Etnia. Luanda. Edições Pedago [Prefácio e Introdução, p.9-22]. PDF
AMSELLE, J-L. 1985. “Etnias e Espaços”, in AMSELLE, Jean-Loup & Elikia M’Bokolo (coord.). Pelos Meandros da Etnia. Luanda. Edições Pedago [23-54]. PDF
CHRÉTIEN, J-P. 1985. Hutu e Tutsi no Ruanda e no Burundi”, in AMSELLE, Jean-Loup & Elikia M’Bokolo (coord.). 1985. Pelos Meandros da Etnia. Luanda. Edições Pedago [125-157]. PDF
VIDAL, Claudine. 1985. “Conjunturas Étnicas no Ruanda”, in AMSELLE, Jean-Loup & Elikia M’Bokolo (coord.). 1985. Pelos Meandros da Etnia. Luanda. Edições Pedago [p.159-174]. PDF
MBOKOLO, E. 1985. “O ‘separatismo’ Catanguês”, in AMSELLE, Jean-Loup & Elikia M’Bokolo (coord.). 1985. Pelos Meandros da Etnia. Luanda. Edições Pedago [p.175-209]. PDF
VIDAL, Nuno Fragoso. 2016. “O MPLA e a governação: entre internacionalismo progressista marxista e pragmatismo liberal nacionalista” in Estudos Ibero-Americanos, Porto Alegre, v. 42,
n. 3, p. 815-854 DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1980-864X.2016.3.23461 PDF

Unidade 3 – Transformações políticas e econômicas da década de 1990
OLIVEIRA, Ricardo Soares de. 2009. “África desde o fim da Guerra Fria”, in Relações Internacionais, 24, p. 93-114.PDF
VIDAL, Nuno Fragoso. 2006. “Multipartidarismo em Angola” in Vidal, Nuno Fragoso & Pinto de Andrade, Justino. O processo de transição para o multipartidarismo em Angola. Lisboa e Luanda: Firmamento, P.11-58.
https://www.pdeiam.com/copia-publications
MESSIANT, Christine. 2006. “Transição para o multipartidarismo sem transição para a democracia”, in Vidal, Nuno Fragoso & Pinto de Andrade, Justino. O processo de transição para o multipartidarismo em Angola. Lisboa e Luanda: Firmamento, p.131-162.
https://www.pdeiam.com/copia-publications
MBEMBE, Achille. 1999. “Sobre el Gobierno Privado Indirecto”, in Politique Africaine,PDF

MBEMBE, A. 2014 [2013]. Sair da Grande Noite. Ensaio sobre a África
descolonizada. Luanda: Ed. Pedago. [Capítulo V África: casa sem chaves, 141- 163] PDF
VIDAL, Nuno Fragoso, “A génese da economia do petróleo e dos ‘esquemas’ impeditivos do desenvolvimento”, in Nuno Vidal & Justino Pinto de Andrade (eds), Economia Política e Desenvolvimento em Angola (Lisboa & Luanda: Universidade de Coimbra, Universidade Católica de Angola & Chá de Caxinde, 2011), pp. 9-66. https://www.pdeiam.com/copia-publications
VIDAL, Nuno Fragoso, “Política, sectores sociais e sociedade civil em Angola”. 2009. in Nuno Vidal & Justino Pinto de Andrade (eds, orgs & co-auts), Sociedade Civil e Política em Angola: enquadramento regional e internacional (Luanda & Lisbon: Angolan Catholic University &
University of Coimbra), pp. 11-40. https://www.pdeiam.com/copia-publications
FILHO, Pio Penna. 2018. “A Nova África: crescimento econômico e estabilidade política. Neocolonialismo: dependência e interdependência africana”, in Nadilson, Jorge (org.) História da África e relações com o Brasil. Brasília: FUNAG, p.489-518. PDF
COUTO, Mia. 2005. “Trinta Anos de Independencia: no passado o futuro era melhor?”
COUTO, Mia. 2006. “Os sete sapatos sujos”, Oração de sapiência no Instituto Superior de Ciência e Tecnologia de Moçambique_Maputo
COUTO, Mia. 2008. “E se Obama fosse Africano”, in Jornal Savana.
PDF
VIZENTINI, Paulo Fagundes. 2018. “A África no mundo bipolar: relações internacionais e construção do Estado-Nação” in Nadilson, Jorge (org.) História da África e relações com o Brasil. Brasília: FUNAG, p.325-378. PDF
SARAIVA, José Flávio Sombra. 2018. “A construção dos estados modernos africanos. A crise e conflitos pós-independência e suas origens. As distintas realidades econômicas do continente africano pós-independência” in Nadilson, Jorge (org.) História da África e relações com o Brasil. Brasília: FUNAG, p.417-452. PDF

4 – Globalização e relações África-Brasil
MBEMBE, A. 2014 [2013]. Sair da Grande Noite. Ensaio sobre a África
descolonizada. Luanda: Ed. Pedago. [Capítulo II, Abertura do mundo, ascensão em Humanidade, 49-77] PDF
MBEMBE, A. 2014 [2013]. Sair da Grande Noite. Ensaio sobre a África descolonizada. Luanda: Ed. Pedago. [Capítulo VI e Epílogo, 165-194] PDF
MBEMBE, Achille. 2006. Necropolítica: biopoder, soberania, estado de exceção e política de morte. 2ed. São Paulo: n-1 edições. PDF
FERREIRA, Roquinaldo. “Ilhas crioulas: o significado plural da mestiçagem cultural na África atlântica”, in Revista de História 155 (2o – 2006), 17-41 PDF
LOPES, Carlos. 2015. “Os desafios da África do séc. XXI”, in Diálogos Africanos, 1, p.6-16. PDF
CELSO, Amorim. 2015. “Um balanço das Relações Brasil-África”, in Diálogos Africanos, 1, p.17-PDF
Banco Mundial & IPEA. Ponte sobre o Atlântico. Brasil e África Sub-sahariana, [Capítulos História das Relações Brasil-África / Visões Brasileiras sobre África], p.27-48 PDF
CARVALHO, Thiago. 2014. “O Brasil e o fim do Império Português”, in Jerónimo, Miguel Bandeira & Costa Pinto, António, Portugal e o fim do colonialismo. Dimensões internacionais. Lisboa: Almedina, p.155-178. PDF
SANTOS, Vanicleia. 2014. “Brasil e Moçambique nos anos 1974-1986: economia e política externa no diálogo Sul-Sul”, in Revista de Ciências Humanas, Viçosa, v. 14, n. 2, p. 277-301. PDF
JÚNIOR, Wilson Mendonça & FARIA, Carlos Alberto. 2015. “A cooperação técnica do Brasil com a África: comparando os governos Fernando Henrique Cardoso (1995–2002) e Lula da Silva (2003–2010)”, in Revista Brasileira de Política Internacional, 58 (1), p. 5-22. PDF
LETÍCIA, Pinheiro. 2007. “’Ao vencedor as batatas’: o reconhecimento da independência de Angola”, in Estudos Históricos, 39, p.83-120.PDF
JORGE, Nedilson. 2018. “Política externa: relações Brasil-África”, in Nadilson, Jorge (org.) História da África e relações com o Brasil. Brasília: FUNAG, p.519-556. PDF
MUNANGA, Kabengele. 2018. “Passado e presente nas relações África-Brasil”, in Nadilson, Jorge (org.) História da África e relações com o Brasil. Brasília: FUNAG, p.453-488. PDF
MILANI, Carlos. 2018. “Cooperação entre o Brasil e a África no contexto das relações Sul-Sul” in Nadilson, Jorge (org.) História da África e relações com o Brasil. Brasília: FUNAG, p.379-416. PDF